ÂMBITO

ECOCRITICISM 2018 - International Conference on Literature, Arts and Ecological Environment visa a criação de um oportunidade para a discussão crítica e reavaliação no âmbito académico e não-académico de contribuições para a relação entre manifestações culturais e artísticas (na literatura, artes gráficas e visuais, cinema, etc.) e consicência ambiental que foram sendo produzidas ao longo das duas décadas

O Congresso acolhe contribuições que sejam o reflexo de diferentes visões com base na nacionalidade, ou no género, e que vão da novela ao romance, da poesia ao ensaio, da literatura infantil à literatura juvenil.

A grande e rica diversidade de questões a que a Ecocrítica se tem dedicado desde o seu surgimento nos anos de 1990 está fundada numa premissa que Cheryll Glotfelty expressou de forma espcialmente interesante: “human culture is connected to the physical world, affecting it and affected by it”. Em paralelo, os estudos e investigação dos académicos norte-americanos têm vindo a ser mote e motivação para novas vias de trabalho, especialmente tendo em mente a ideia de que os seres humanos atingiram o limiar em que as suas acções podem destruir o Planeta, ou seja, os seus sistemas básicos de suporte da Vida.

Assente em teorias e movimentos sociais dedicados à análise da interdependência entre humanos e não-humanos, a Ecocrítica tem vindo a abarcar múltiplas áreas de conhecimento, podendo tal ser defendido como prova de que se trata de um progressivo e frutuoso paradigma epistemológico.

Se na sua fase inicial a Ecocrítica se preocupava essencialmente com as questões relacionadas com a compreensão das crises ambientais, hoje será provavelmente mais adequado referirmo-nos a uma Ecocrítica 2.0 e refocar a questão: de que forma as mais recentes contribuições e expressões artísticas contribuem para a renovação da Ecocrítica, do seu conhecimento e da sua sabedoria?